cruise-ship-g2ef6e01e3_1920

Primeiro navio de cruzeiros da temporada 2021/2022 chega ao Porto de Santos 

Embarcação MSC Preziosa abre a retomada das atividades marítimas nesta sexta-feira (5). Previsão é de que seis navios passem pelo complexo portuário santista

O Porto de Santos recebeu, na última quarta-feira (3), o primeiro navio de cruzeiros da temporada brasileira 2021/2022. A embarcação MSC Preziosa atracou no cais santista para fazer a abertura da retomada das atividades marítimas, que deve iniciar nesta sexta-feira (5). A previsão é de que seis navios passem pelo complexo portuário e percorra a costa brasileira até meados de abril. 

O navio estava nas proximidades do porto do Rio de Janeiro na terça-feira (3), e chegou ao cais santista por volta das 7 horas. A embarcação iniciou a viagem ainda em outubro, no Porto de Marselha, na França, após o Governo Federal liberar a temporada de cruzeiros no Brasil. 

Além do MSC Preziosa, outros navios da companhia de navegação irão atracar no Porto de Santos neste ano. O MSC Seaside está previsto para chegar em novembro e o MSC Splendida no mês de dezembro. As embarcações Costa Smeralda e Costa Fascinosa também passarão pelo local. A expectativa é de que 237 mil cruzeiristas embarquem em Santos.

Protocolos sanitários

A retomada da temporada de cruzeiros marítimos foi autorizada pelo Ministério da Saúde por meio de uma portaria publicada no Diário Oficial da União. O texto, divulgado no dia 28 de outubro, autoriza a navegação dos navios a partir do dia 1º de novembro. 

Na última sexta-feira (29), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) definiu os protocolos sanitários que deverão ser seguidos pelos navios de cruzeiros durante o transporte de passageiros nesta temporada. As medidas foram elaboradas para garantir condições mínimas de segurança aos viajantes, a fim de evitar casos de Covid-19. 

Dentre os protocolos definidos, a agência exige que os passageiros apresentem o comprovante de vacinação completa contra a Covid-19 e que seja realizada a testagem diária para a doença em 10% da tripulação e dos passageiros. Confira os parâmetros que devem ser seguidos aqui.